Dívida da gestão anterior faz Receita Federal reter cota do FPM. Governo da Mudança age rápido, negocia o parcelamento e resolve o problema.

“Pense num absurdo, na Bahia tem precedente”, dizia Otávio Mangabeira, governador da Bahia entre 1947 e 1951. A frase famosa, sempre citada pelos políticos e jornalistas, bem que poderia ser adaptada para a realidade atual do município que tem o seu nome, Governador Mangabeira. Nesta quarta-feira, a Prefeitura foi comunicada que a parcela do FPM – Fundo de Participação dos Municípios, referente ao dia 10 de abril foi retida pela Receita Federal. O motivo? Mais uma dívida deixada pela administração da Profake.

O mais absurdo não é a dívida em si, de valor pequeno e que poderia ter sido paga facilmente. Mas a maldade em não informar e deixar que o débito prejudicasse o município, afinal, o FPM é a receita com a qual a gestão paga seus compromissos e mantém os serviços públicos. Essa foi a prática comum da gestão anterior: deixar dívidas para impedir que o novo governo pudesse trabalhar. O certo é que nesta terça-feira, 09, o município foi informado que estava inadimplente junto ao CADIN – Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal, um banco de dados que registra as prefeituras que tenham dívidas em órgãos e entidades federais.

Mas, como diz o ditado, o tiro saiu pela culatra. Em Brasília, onde está trabalhando para trazer novos benefícios para Mangabeira, como a reabertura da agência do Banco do Brasil, anunciada ontem, o Prefeito Marcelo Pedreira tomou as providências: “ Tão logo fui informado procurei a Receita Federal, negociei o parcelamento da dívida, pagamos a primeira parcela e o FPM já está sendo liberado. Quero manifestar minha indignação a mais este absurdo cometido pela gestão anterior contra a população mangabeirense! ”, afirmou o prefeito. Importante ressaltar que, mesmo com a retenção dos recursos, não houve interrupção dos pagamentos, nem dos serviços prestados, mostrando que a Prefeitura está muito bem administrada e trabalha com planejamento financeiro.