Governo da Mudança desmascara mais um fake news da oposição

Mais uma vez, a oposição em Governador Mangabeira se utiliza de mentiras para tentar manchar a imagem da gestão. Se aproveitando de uma questão entre vizinhos, eles tentaram criar um problema e colocar a culpa na Prefeitura. Mas, como o Governo da Mudança trabalha com a verdade, nossa reportagem foi até o local da falsa denúncia, na comunidade da Mangueira, apurar os fatos e o que foi visto é surpreendente.

Lá, funciona uma Unidade de Reciclagem de Lixo coordenada pelo senhor Gênis da Sucatinha, um antigo morador conhecido e respeitado na comunidade. Trata-se de um projeto ambiental legalizado e muito organizado, que gera sete empregos diretos e mais de 15 indiretos, o que contribui com a geração de renda no município. A unidade não trabalha com material orgânico, logo, não se notam insetos ou mau cheiro no local. Além disso, seu proprietário compra lixo, sucatas e ferro velho em toda a cidade, colaborando com a limpeza urbana.

Projeto de reciclagem pioneiro, regulamentado e dentro da lei

O estabelecimento funciona dentro da legalidade, com Alvará de Funcionamento expedido pela Prefeitura e é constantemente fiscalizado pela Vigilância Sanitária e pelos órgãos ambientais competentes. Tudo está organizado por tipo de material: plástico, metal, papel, papelão e tecidos, e a Unidade possui caminhões, prensa e diversos equipamentos para o manuseio adequado dos materiais, oferecendo total segurança aos colaboradores.

Para quem visita, fica nítida a preocupação e cuidado que o senhor Gênis tem com a vizinhança, a preservação ambiental e as condições sanitárias e higiênicas. Portanto, fica claro que não existe lixão, como foi irresponsavelmente divulgado, mas um projeto pioneiro de reciclagem, que se preocupa com o meio ambiente e com as pessoas, e que serve de exemplo para toda a nossa região.

É de se lamentar a postura da oposição em Mangabeira. Além de ausente e não ter propostas para o município, ela torce contra tudo o que está dando certo. E na ânsia de prejudicar o governo, não hesita em perseguir um pequeno empresário, que só quer trabalhar em paz.