Nossa História

De Cabeças a Governador Mangabeira: Uma história de lutas e conquistas

Antes usado como estrada de bandeirantes, o território onde hoje se encontra Governador Mangabeira servia de passagem e local de descanso de portugueses, que aportavam na Bahia e iam para o Sul e Sudeste do país em busca de riquezas. Certo dia, em um ponto desta estrada, foram encontradas três cabeças humanas, enfiadas em estacas, o que fez com que o local passasse a ser conhecido como Cabeças.

Segundo relata a professora Angelita Gesteira Fonseca, em seu livro Primórdios e Progressos da Cidade de Governador Mangabeira, Cabeças era uma terra plana, saudável, com boa temperatura, boa água, muita caça disponível e um solo fértil. Por isso, os portugueses que paravam para descansar plantavam milho, mandioca, feijão e outros cereais para sua sobrevivência durante a estadia. Com o passar do tempo, o fluxo foi aumentando e os bandeirantes construíram um pequeno adro e os jesuítas, que também já chegavam por aqui, fizeram uma casa para descansar, uma casa de orações e um cemitério, área onde hoje é a Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição.

Por volta de 1700, o local já se chamava Arraial de Cabeças e pertencia ao município de São Félix, passando a pertencer a Muritiba anos depois. Segundo relatos que foram sendo transmitidos entre gerações, aqui viviam quatro famílias, que tinham muitas posses. Trata-se das famílias Cerqueira, Brandão, Fonseca e Gesteira. Como eram numerosas, as famílias foram se misturando e construindo as gerações posteriores e, com a chegada de outras famílias, foi se constituindo a sociedade local. As principais atividades econômicas eram o beneficiamento de tabaco, a agricultura e o comércio de mercadorias, trazidas pelos tropeiros que por aqui passavam.

Já em 1934, o Arraial passou a ser Vila. Nesta época, havia apenas quatro ruas: Rua Principal, hoje Rua José Martins; Rua de Baixo, atualmente Rua João Altino da Fonseca, Rua das Bananeiras, atual Rua César Martins; e Rua de Cima, que hoje é a Rua 2 de Julho. A maioria das ruas da cidade homenageia pessoas e datas marcantes na sua história.

A emancipação aconteceu, finalmente, em 1962, quando a cidade passou a chamar-se Governador Mangabeira, o que era um desejo dos moradores, já que Cabeças fazia referência a acontecimentos trágicos. Outros nomes foram sugeridos: Altinópolis, para homenagear o coronel João Altino da Fonseca; Betânia, referindo-se à cidade bíblica da Judéia; e Três Palmeiras, em homenagem às palmeiras que existiam na Praça Castro Alves. O nome Governador Mangabeira, que homenageia o ex-governador da Bahia Otávio Mangabeira, foi escolhido porque dava uma ideia de progresso e traria mais prestigio à nova cidade, já que Otávio Mangabeira era muito respeitado por tudo que fez pelo estado da Bahia.

Liderado por nomes como Agnaldo Viana Pereira, Malaquias Cerqueira Ferreira, Antônio Pereira da Mota Júnior e Manoel Machado Pedreira, entre outros, o movimento pela Emancipação Política ganhou cada vez mais força, sendo concretizado no dia 14 de março daquele ano.

O primeiro prefeito da cidade foi Agnaldo Viana Pereira, carinhosamente conhecido por todos da cidade como Seu Agnaldo, que prestou relevantes serviços ao Município, como a criação do Centro Educacional Cenecista Otávio Mangabeira – CECOM (hoje Colégio Viana), que trouxe aos jovens mangabeirenses uma nova oportunidade de qualificação. Reconhecendo a sua importância para o desenvolvimento da cidade, a Prefeitura Municipal passará a se chamar Paço Municipal Agnaldo Viana Pereira, com um Projeto de Lei já aprovado pela Câmara Municipal.

De Cabeças até se tornar Governador Mangabeira, a cidade mudou muito e vem se desenvolvendo a cada dia, ganhou novas ruas, novas construções, o comércio cresceu, a oferta de educação e saúde também. Mas um sentimento, herdado dos antepassados que aqui viveram, permanece vivo no coração de seus filhos: a luta diária para ver esta terra tão amada prosperar cada vez mais, sendo um lugar acolhedor e motivo de orgulho para todos os seus moradores.

Referências:

FONSECA, Angelita Gesteira. Primórdios e Progressos da Cidade de Governador Mangabeira, 2000.

 

Os Prefeitos

  • 1963

    Agnaldo Viana Pereira

    Governou de 1963-1966 e 1973-1976.

  • 1967

    José Gomes Dias

    Governou de 1967 a 1970

  • 1971

    Adauto João Mamona dos Santos

    Governou de 1971-1972 e 1977-1982

  • 1983

    José Souza de Santana

    Governou de 1983-1988 e 1993-1996

  • 1989

    Anatelis Ferreira de Almeida

    Governou de 1989-1993 e 1997-2000

  • 2001

    Antonio Pimentel Pereira

    Governou de 2001-2004 e 2005-2008.

  • 2009

    Domingas Souza da Paixão

    Governou de 2009-2012 e 2013 a 2016

  • 2017

    Marcelo Pedreira de Mendonça

    Atual Prefeito

Governador Mangabeira - Governo da Mudança